quarta-feira, 29 de julho de 2015

Diário de uma Arquiteta: Opiniões externas



Bom, queria apresentar para vocês essa coluna que me deu vontade de fazer aqui no blog! 
Intitulada "Diário de uma Arquiteta" tentarei compartilhar algumas dúvidas, questionamentos e histórias do dia-a-dia do que é ser uma pessoa que entra na vida de outras para fazer um pouco de tudo: ser psicóloga, conciliadora, a pessoa que decide, que dá apoio e outras coisas mais.

Espero que vocês se divirtam e queiram ler tudo, pois eu AMO escrever e é uma coisa que me faz falta na vida! Inclusive adoroooo ler meus textos (tenho histórias escritas, e quem me conhece sabe que eu vivo "entrevistando" as pessoas e fico falando que é para colocar no meu livro... pois é, uso um tom de brincadeira na hora que falo isso mas ele existe genteeeee!!! Hahahahaha!!! Preciso copilar para publicar aqui no blog porque são histórias soltas!!! Hahahaha! Sério!)

Mas vamos lá na brincadeira aqui! Hoje falarei de um assunto meio estranho e talvez de forma filosófica de desabafo: sobre opiniões alheias ao longo do processo de construção!


Eu sempre fui uma pessoa que sempre gostou de saber de tudo um pouco, ou muito, e quando entrei na faculdade de arquitetura a primeira coisa que me falaram era que o Arquiteto era o profissional que mais transitava entre as profissões do meio da construção, era a pessoa que lidava desde o cliente até o terceirizado mais longe possível... hahahaha! Verdade!
No meu dia-a-dia encontro de tudo um pouco: pedreiro que pensa que é arquiteto ou engenheiro, cliente que pensa que é arquiteto ou engenheiro, leigos que entendem de tudo, questionadores de coisas banais, a turma do contra, o preocupado demais, a louca, o extremo perfeccionista, etc... Então, de tudo!

Com isso, já fui desenvolvendo em mim a terapia do "ouvido seletivo", ou seja, passei a escutar somente aquilo que vale a pena ouvir e de pessoas em que a opinião realmente importa. Vira e mexe estou na frente de uma obra pensando e chega alguém cheio de "opiniões e experiências" das quais você não quer e não precisa fazer parte.
Hoje em dia, entendo muito mais a loucura que os meus clientes passam durante a obra, pois vivi exatamente isso com a minha! Hahahaha! Engraçado como a gente ver que o misto de sentimentos de todo mundo é igual!
Uma cliente muito querida me perguntou como estou fazendo para dormir porque tomo conta das obras dos outros, da minha, de casamento (isso na época do casamento)... hahahahaha! Mas como eu falo para ela: tomar conta e decisões nas obras não são nenhum problema, é uma delícia! Mas assim, quando a gente está de fora é bem melhor! Hehehehehe! E casamento (organizar a festa, claro) é um saco!!!! Hahahahaha! Isso sim! Ainda bem que foi só esta vez!


Meu conselho é: se você gostou, amou o Estudo Preliminar (que é a primeira etapa do projeto, onde decidimos praticamente tudo) siga-o a risca! Sério!
Isso aconteceu comigo e na minha obra!
Durante o processo da obra, tudo vai acontecendo para um bem maior, para chegar naquela imagem que eu fiz no início muitas coisas precisam acontecer, e elas não acontecem ao mesmo tempo... pensa! Existe toda uma sequência a ser seguida e que pode ter certeza que no final vai ficar praticamente do jeito que a gente projetou e planejou naquele início.

Não adianta, entre o Estudo Preliminar e o resultado final tem uma OBRA

Comigo foi o seguinte, muita gente ia na minha obra e me dava "altas" dicas! (hahahahaha). Algumas eu considerei, mas outras eu nem lembro porque fiz a "terapia do ouvido seletivo".. então.. hahahaha! Entenderam?!?!

Pois bem fica aqui a dica: CONFIE EM VOCÊ E NO SEU GOSTO! Afinal a casa é sua e quem vai morar nela é você!
Ah tá! E não se esqueça de contratar um arquiteto!!! Hehehehe!!!

Beijos!

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigada amiga!!! Adoro a sua presença por aqui!

      Excluir
  2. Ai que tudo!!! Por isso que adoro essa profissa!!! Show bezinha!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Amiga Laís!!!.. Você é uma querida amiga e cliente!

      Excluir